sexta-feira, 22 de junho de 2007

Danuza

Danuza habita o apartamento do primeiro andar do bloco dos fundos. Uma bela mulher, apesar da aparência e costumes decadentes. Raro sua janela estar aberta. Fica semanas fechada. Chego a pensar que ela se mudou ou morreu. Fico preocupado. Minha condição de estranho e invisível me impede de ir perguntar sobre ela. Sinto falta de ver Danuza. Não pelo fato de ela andar praticamente despida. Às vezes de calcinha e soutien. Ás vezes só de calcinha. Certa noite, flagrei o corpo de Danuza totalmente nu. Não me excito ao ver Danuza se masturbando no sofá para quem quiser ver. Sua obstinação pelo sexo, pelo gozo estranhamente não estimulam minha libido. Talvez porque eu tenha ao mesmo tempo a visão do apartamento do senhor Arnóbio e de dona Vilma. Acredito que Danuza também não ficaria excitada ante a tristeza dos vizinhos. O que sinto com relação a Danuza é de difícil definição, mas não envolve pênis nem coração.

19 comentários:

Putty Cat disse...

Olá!

Vim agradecer e retribuir a tua visita no meu espaço.

Um beijinho!

Gi disse...

Danuza e a sua vida triste. Sua solidão. Não é preciso chegar a velho para a sentir, não.
Mas se a vê e se a sente, pode até nem ser amor nem tão pouco paixão mas está se define. Você vê com o coração.

beijos

lili disse...

ui ui eiiii là belo texto heheheh

gasolina disse...

Moniz,

Grata pela tua presença no meu canto e palavras. És sempre muito bem vindo.

Quanto ao teu texto, mais um retrato. Afinal cada janela é uma tela.
Desta feita, a decadência.
Gostei.
Fico à espera de mais janelas.

DEixo um beijo, fica bem

Ida disse...

Genial a última frase... isso soa-me a um Fernando Pessoa pós-moderno, mais sequinho, mas não menos aridamente profundo. Num mundo tão focado em objetos concretos arqui-mediatizados é curioso imaginar algo que não mobilize "pênis nem coração" e seja ainda assim objeto de texto tão interessante.

Cris disse...

Textos Fenomenais!!! Um beijinho

Cris

Rosa dos Ventos disse...

Continuo a deliciar-me com as tuas personagens.
Esta Danuza...vai ser muito importante no desenrolar da história, penso eu.

Teresa David disse...

Gostei bastante deste texto que me fez pensar e confirmar aquilo que sempre senti: O sexo é uma partilha logo ver alguém a masturbar-se não me dá igualmente nenhum frémito.
Mas alguém que tem um blog de nome voyeur é um pouco estranha a indiferença...
Bjs e bom humor
TD

NOBITA disse...

Bem confesso que gosto mais de D. Vilma, mas vizinho é vizinho por isso temos que nos preocupar com todos.
Obrigada pela visita ao meu cantinho
Beijos doces

Klatuu o embuçado disse...

As Danuzas deste mundo são (pior que) foda! :)

Abraço.

D. Maria e o Coelhinho disse...

O "MILAGRE" DO COELHINHO !!!!
E
AS
"grandes JANTARADAS"
DA



D. MARIA

herético disse...

Danuza que aproveite o sofá...

em breve será igual a Dona Vilma! tal e qual...

Abraços

Escorpiana Explosiva disse...

Vim agradecer a visita e confesso que adorei o que li.

Serás que não deverias ir até lá e perguntar por ela.

Quem sabes possa encontrar algo de encatador em Denuza,algo que possa de levar a saber porque ela age assim...

Nilson Barcelli disse...

Obrigado pela sua visita.
Gostei das pequenas histórias que aqui conta e li.Parabéns pelo seu blogue.
Boa semana.

Tereza disse...

Muito bonito o texto. Simples e sensível. O meu preferido até agora. ;*

tereza disse...

Ah... ainda bem q não tem foto... rs Brincadeirinha... rsrs ;*

Lux Caldron disse...

Essa Danuza é uma sem vergonha...eheheh. Anda sempre de janela fechada e quando a abre é para isso? Cá para mim ela também te espreitou e tá mortinha para que vás lá perguntar por ela!

Abraço

Frankie disse...

Bem, o que a solidão pode fazer a uma mulher...

É f***

Eheheh

Cris disse...

Estou à espera da continuação....

bjo
C.